Dia nacional dos professores!

Auguri a tutti gli insegnanti! Se no dia 5 de outubro comemora-se o dia internacional dos professores, pela UNESCO, no Brasil, a data é 15 de outubro.

O meu percurso para virar professora de italiano

Comecei a estudar italiano em 2008, num curso de língua e cultura italiana que existia aqui em Florianópolis. Por sorte, desde o início do curso sempre tive ótimas professoras e professores e a minha paixão pelo idioma foi crescendo.

Chegando na graduação, novamente, tive ótimos professores e cada um deles me inspirava a também poder transmitir o conhecimento de alguma forma.

No quarto semestre de curso optei pela licenciatura e passei a ver cada vez mais de perto o que é ser professora, como é enriquecedora essa profissão e a ideia de compartilhar o conhecimento com outras pessoas foi crescendo constantemente.

Até que me inscrevi para dar aula como professora voluntária no PET Letras e ali tive a minha primeira turma. Cada dia uma alegria, uma surpresa, um aprendizado. Lembro-me de pedir conselhos, ajuda para colegas e professores, mas nunca desisti perante uma dificuldade, pelo contrário, sempre busquei uma forma de entender a dúvida do meu aluno e saná-la da melhor forma possível.

Fui adquirindo experiência, durante a graduação e o mestrado comecei a dar aulas particulares e aulas para grupos como professora voluntária ou professora do Extra (curso de idiomas para a comunidade oferecido pela Universidade Federal de Santa Catarina).

Após a conclusão do meu mestrado fui para a Itália e estudei na Università per Stranieri di Perugia e, novamente, tive somente professores incríveis, competentes e apaixonados pela profissão, professores que manejavam uma turma repleta de estrangeiros e conseguiam ser claros e acessíveis para todos.

Voltei da Itália mais certa ainda: quero ser professora de italiano!!

Comecei dando aulas presenciais aqui em Floripa, até que um dia uma aluna minha, professora de inglês on-line, perguntou-me: Ana, por que você não dá aula on-line?

Lembro de ter pensando na hora: mas é claro! Se meu desejo é compartilhar essa paixão pela Itália com outras pessoas, on-line não terei limitações!

Dito e feito, no mesmo dia comecei a divulgar minhas aulas on-line e agora estou aqui, 100% digital e cada vez mais apaixonada pelo meu trabalho.

Ser professora na era on-line

Graças à internet meu desejo se concretizou. Trabalhar com o idioma italiano é construir uma enorme família, pois a cultura italiana é assim, sem barreiras, sem limites, um enorme abraço que acolhe e encanta.

Durante meu percurso como professora 100% digital tive o prazer de continuar dando aulas para alunos que foram para a Itália em busca do sonho da dupla cidadania (e conseguiram com sucesso, sozinhos, sem assessoria!), já tive aluna no Qatar e nos encontros de conversação que promovo, felizmente pude conhecer pessoas de outros países do mundo. Todos juntos pela mesma paixão.

Ser professora (on-line), para mim, é isso: um constante entrelaçar de culturas e ser uma ponte para que cada aluno realize seu sonho.

Nos tempos da pandemia…

Hoje, mais do que nunca, meu papel como professora vem ganhando diversos significados. Neste período de isolamento, muitas vezes me vi como o único contato, além do trabalho, que meu aluno teve durante toda a semana, concretizando aquela máxima: “todo professor, no fundo, tem um pouco de psicólogo.”

Claro que não me acho capacitada e não pretendo ser nem muito menos substituir o papel de um psicólogo ou de um psicanalista, mas o que entendo com essa situação e com essa máxima é que ser professora, atualmente, é ir muito além do que aquele que transmite alguma forma de conhecimento, é ser um profissional pronto para lidar com o que há de mais humano em cada um de nós, é saber lidar com o outro, talvez melhor mesmo do que o outro lida com si, é estar aberta às surpresas e ter jogo de cintura para lidar com o inesperado.

Enfim, ser professora é estar em constante evolução. Quantos professores não tiveram que se desdobrar para dar o melhor da educação no meio desta crise inesperada?

Vi ringrazio di cuore!

Agradeço, de coração, a todos os meus professores, inspiradores! Graças a eles hoje sinto realização no que faço.

Ser professora particular não é um bico, muito menos uma falta de opção, é uma escolha muito bem pensada que exige constante evolução, estudo e dedicação de corpo e alma.

Tudo isso só é possível, também, graças aos nossos alunos e eles o meu MUITÍSSIMO OBRIGADA! Nada disso seria tão maravilhoso sem a incrível paixão de cada um de vocês

Quer fazer parte da família Italiano Descomplicado? Entre em contato! Ainda há vagas! [email protected]

Leia Mais...

Comece a semana com um novo hábito de estudos!

Ciao, buongiorno, buonasera, salve!!

Começamos mais uma semana e eu gostaria de propor um desafio para vocês: que tal estudar italiano todos os dias e ainda organizar a sua rotina?

A ideia é criar uma agenda com as atividades do seu dia-a-dia em italiano! Não importa qual o seu nível, se básico ou avançado, essa atividade é ótima e pode ser feita por qualquer um.

Além dela te forçar a manter um contato diário com o idioma, você ainda pode aproveitar para: enriquecer seu vocabulário (fazendo pesquisas de como dizer certa atividade em italiano), fazer com que você tenha maior agilidade na conjugação dos verbos, colocar a língua em algo que realmente lhe seja útil e assim te estimular a desenvolver uma forma de estudo que seja eficaz para você.

Se você tem o italiano ainda básico pense em frases curtas, diretas, simples, o importante é fazer com os elementos que você conhece. Por exemplo: lunedì alle otto faccio la colazione. Alle 12 pranzo. Alle 18 vado al supermercato e assim por diante, fazendo suas atividades com os horários para cada dia da semana.

Já se o seu nível de italiano é mais avançado, aproveite para jogar com os tempos verbais, você pode pensar, também, em transformar a sua agenda num diário. Por exemplo, deixando para descrever como foi seu dia ao final da jornada: oggi mi sono svegliata alle sette, ho fatto colazione, mi sono lavata i denti….Domani mi sveglio alle sette, faccio colazione, ecc…

Preste atenção em quantos elementos da língua você precisa usar para criar frases simples: verbos, vocabulário, preposições, artigos, concordância de gênero…uffa! E você nem se dá conta que jogou com todos esses elementos de uma vez só. Aposto!

E sabe o melhor de tudo: por ser uma atividade fácil e rápida você não se entedia ao desenvolvê-la e tenho certeza que será mais fácil encaixar 5 minutos de estudos práticos na sua rotina do que horas e horas na frente de uma gramática.

Aqui vão algumas dicas para você começar a sua agenda!

Dias da semana em italiano:

  • Lunedì : segunda-feira
  • Martedì: terça-feira
  • Mercoledì: quarta-feira
  • Giovedì: quinta-feira
  • Venerdì: sexta-feira
  • Sabato: sábado
  • Domenica: domingo

Algumas atividades do dia-a-dia:

  • Studiare: estudar
  • Lavorare: trabalhar
  • Cucinare: cozinhar
  • Dormire: dormir
  • Portare il cane a spasso: levar o cachorro para passear
  • Pulire la casa: limpar a casa
  • Guardare la TV: ver TV
  • Navigare su internet: navegar na internet
  • Fare colazione: tomar café da manhã
  • Pranzare: almoçar
  • Cenare: jantar
  • Farsi la doccia: tomar banho
  • Lavarsi i denti: escovar os dentes
  • Lavarsi le mani: lavar as mãos
  • Andare al supermercato: ir ao supermercado
  • Andare al mercato: ir à feira
  • Andare dal medico: ir ao médico
  • Chiamare qualcuno al telefono: ligar para alguém
  • Andare in bici: andar de bicicleta
  • Allenarsi: treinar
  • Fare sport: praticar esporte.

Bônus: mais dicas de estudos!

Se você gostou dessa dica rápida de estudo e gostaria de ter novas ideias para inserir o italiano na sua rotina de forma prática, descomplicada e rápida, nós da Italiano Descomplicado criamos o e-book perfeito para você:

O e-book Italiano em 10 minutos: crie o hábito foi pensando justamente nos estudantes do idioma que não têm muito tempo para estudar o italiano, mas não querem deixar de lado a conquista do seu sonho italiano, por isso pensamos em 6 práticas que podem ser feitas diariamente de forma individual ou com seus amigos e familiares que também estudam o idioma.

O e-book está à venda na hotmart e pode ser adquirido de forma segura aqui: https://hotmart.com/product/italiano-em-10-minutos-crie-o-habito

E ainda tem garantia! Se você ficar insatisfeito, até 7 dias devolvemos o seu dinheiro, mas temos certeza que o e-book irá revolucionar a sua forma de estudo e você não se arrependerá!

Descomplica e estuda um pouquinho por dia!

Leia Mais...

Ennio Morricone morre aos 91 anos.

Morricone, compositor das mais belas trilhas sonoras do cinema italiano morreu na manhã deste dia 6 de julho, aos 91 anos, em decorrência de uma queda, há alguns dias ele havia quebrado o fêmur, teve complicações e nos deixou no dia de hoje.

Filmes inesquecíveis estão na sua carreira, como os de spaghetti western, do diretor Sergio Leone.

Quem nunca se emocionou ao escutar o assobio da canção que é a trilha de “O bom, o feio e o mau”?

The Good the Bad and the Ugly, filme de Sergio Leone: 1966

Morricone ganhou visibilidade com os anos, fez trilhas inesquecíveis e envolventes, partia de uma suavidade até atingir o ápice, capaz de deixar qualquer espectador de pé.

Mais recentemente, em 2016, recebeu o Oscar pela trilha sonora de “Os 8 odiados”, do diretor americano Quentin Tarantino. O filme, com cenas de silêncio por parte dos personagens, tem um ritmo capaz de causar arrepios, ansiedade, uma confusão de sentimentos, graças à trilha composta por Ennio.

Neve – para o filme “Os 8 odiados”, de Tarantino.

O compositor romano, nascido em 10 de novembro de 1928, dedicou sua vida à música. Formado no Consvertório de Santa Cecília, iniciou a sua carreira no cinema em 1961. E de lá para cá foram tantos filmes que Morricone compôs mais de 500 músicas.

E sobre seu método único de composição, fica aqui o próprio Morricone:

https://media.gedidigital.it/repubblicatv/file/2016/01/14/297123/297123-video-rrtv-360-maestro_ennio_morricone.mp4

Addio maestro e grazie di tutto!

Leia Mais...

500 anos da morte de Raffaello Sanzio, um dos maiores personagens do Renascimento Italiano.

Preparamos um workshop com o melhor da Itália, da arte e do vinho. Está pronto para saborear essa história? Então, vamos começar por quem nos serviu como inspiração: Raffaello Sanzio

Aprendiz de Perugino e contemporâneo de Da Vinci e Michelangelo, Raffaello Sanzio deixou a sua marca não somente no mundo das artes, mas também nas praças e encontros sociais daquela inesquecível Itália do século XVI.

Vasari, escritor da “Le vite de’ più eccellenti pittori, scultori e architettori” (“As vidas e as obras dos mais excelentes pintores, escultores e arquitetos”), definiu Raffaello como um homem boêmio e apaixonado pelo mundo feminino, características muito presentes em suas obras.

La Fornarina, por Rafael.jpg
La Fornarina (1520). Óleo sobre tela. Obra de Raffaello, que retrata uma de suas amantes e leva esse nome por ela ser filha de um simples fornaio. Repare no bracelete a assinatura de Raffaello: “RAPHAEL VRBINAS”.

Raffaello foi pintor, escultor e arquiteto. Teve uma vida agitada, mas curta. Morreu aos 37 anos, após 8 dias de febre, sem que ninguém até hoje descobrisse ao certo a causa. Segundo Vasari, ele morreu por “excesso de amor”.

Aclamado por seus contemporâneos, Raffaello Sanzio, talvez por sorte, nasceu em Urbino. Era filho de um pintor da corte de Montefeltro, maior família de mecenas da época juntamente com os Médici. Ao longo dos anos, viveu em alguns dos grandes centros artísticos da Itália renascentista: Firenze, Perugia, Siena e Roma.

No ano de 1508, nos aposentos do papa Júlio II, em Roma, começou a pintar obras encomendadas por seu próprio anfitrião. Entre elas, a famosa Scuola di Atene.

"The School of Athens" by Raffaello Sanzio da Urbino.jpg
La Scuola di Atene, di Raffaello. Afresco pintado entre os anos 1509-1511

Este renomado afresco conta com 33 personagens da antiguidade, retratados com os rostos de contemporâneos renascentistas: bem ao centro da pintura vemos em Platão, à esquerda, as feições de Leonardo da Vinci e, logo abaixo, a representação de Epicuro, que aparece isolado no quadro. Tudo para, na realidade, representar Michelangelo, um homem sozinho e introspectivo.

É como se Raffaello aproveitasse a onda renascentista de retomada do passado para dizer que, assim como era grandiosa a antiguidade, o Renascimento também tinha seu esplendor.

Uma das principais obras do acervo do MASP (Museu de Arte de São Paulo) pode inclusive contar um pouco dessa história esplendorosa aos brasileiros.

collection-item-img
Ressurreição de Cristo. Exposto no MASP, em São Paulo.

500 anos após a morte de Raffaello (1483-1520), 2020 não poderia passar sem nossa homenagem a ele. Por isso, convidamos você para participar de um workshop que leva em sua essência a história deste inesquecível artista italiano.

Workshop: Raffaello e vinhos

No dia 23 de julho, em ocasião dos 500 anos da morte de Raffaello, a Italiano Descomplicado, juntamente com a Boiú e Simone Floridia, vão promover um workshop único: para cada quadro de Raffaello apresentado, um vinho especial que harmonize com sua história. E nada melhor do que contar com quem mais entende desses dois assuntos: um historiador da arte e um sommelier.

Simone Floridia é formado em história da arte pela Facoltà di Beni Culturali dell’Università Del Friuli (Udine, Itália) e possui doutorado em história da arte pela Università Cattolica di Milano. Com vasta experiência na área de gestão e restauro dos bens culturais, ministra cursos de história da arte italiana no Instituto Cultural Ítalo-Brasileiro de São Paulo.

O sommelier Leo Russo, fundador da Boiú (www.boiu.com.br), é também diplomata corporativo e tem diversos cursos na área de bebidas, incluindo Coquetelaria Clássica na Mixology Accademy, em Roma, e Wine & Spirits Education Trust, em Londres. Sua empresa tem como principal proposta oferecer não apenas experiências em bebidas artesanais, mas sim momentos especiais de encontros e amizades.

Homenagear o artista que revolucionou o Renascimento Italiano, harmonizando uma boa história com um bom vinho? Estamos prontos para te receber em nosso workshop!

Garanta sua vaga em https://www.eventbrite.com.br/e/workshop-raffaello-e-vinhos-tickets-111852531934 e ganhe 15% de desconto usando o cupom italianodescomplicado. Para mais informações, entre em contato com a gente através do e-mail [email protected]

Esperamos por você!

Leia Mais...

Festa della Repubblica italiana

Amanhã, dia 2 de junho, celebra-se a festa da República italiana. Mas você sabia que nem sempre a comemoração foi neste dia? Como a Itália escolheu pela forma de governo? Quando a escolha aconteceu?

História em breve:

Em 1946, após a segunda Guerra Mundial, a Itália promoveu pela primeira vez na sua história uma eleição na qual as mulheres também tinham direito ao voto. Essa eleição ocorreu entre os dias 2 e 3 de junho.

Foi então que os italianos precisavam escolher entre monarquia ou república. A escolha pela república venceu com a diferença de dois milhões de votos.

Assim, a Itália deixava de estar sob o domínio da família Savoia e do rei Umberto II, o qual se exilou em Portugal assim que soube do resultado das eleições.

Mas foi somente a partir de 2001 que o 2 de junho passou a ser um feriado nacional, antes a festa da República comemorava-se no primeiro domingo de junho.

Comemorações:

Desde o dia 18 de maio a Itália vem nos encantando com as imagens da Frecce Tricolori sobrevoando diversas cidades italianas e colorindo o céu com o tricolor da bandeira, um gestão que tem sido chamado pelos jornais italianos de “abraço simbólico”.

Foto da “Esquadrilha da fumaça” italiana, le Frecce Tricolori, em vôo formando a bandeira italiana com fumaça colorida.

Em geral, o Quirinale, sede do governo italiano em Roma, abre suas portas nesse dia, mas este ano a visita será virtual em virtude da pandemia. No site Sky Arte será possível visitar virtualmente o Quirinale amanhã durante todo o dia.

Já no site oficial da Festa della Repubblica italiana é possível acompanhar a programação completa, além de notícias e curiosidades sobre os símbolos deste dia tão relevante na história dos italianos.

Para finalizar as festividades, a Frecce Tricolori sobrevoará Roma no dia de amanhã. Um abraço que se completa em uma memória tão viva e presente na cultura italiana.

Leia Mais...

Café: um laço entre Brasil e Itália.

Ontem, dia 24 de maio, comemorou-se o dia nacional do café. Desde 2005 a data foi estabelecida pela ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café) porque é nesse período de maio que se inicia a colheita do café no Brasil.

Mas a história dessa bebida no nosso país é muito mais antiga e os imigrantes italianos que aqui desembarcaram estão intimamente ligados à ela.

Nos idos de 1880 as plantações de café no interior de São Paulo cresciam e, com a abolição da escravatura, havia necessidade de outro tipo de mão de obra, foi, então, justamente nesse período que muitos italianos deixaram seu país de origem em busca de trabalho em plantações de café no Brasil.

Segundo registros, a população de Ribeirão Preto – SP era de 52.929, sendo que 27.765 eram italianos. Esses imigrantes vinham em família e muitos deles trabalhavam nas fazendas cafeeiras.

O Brasil com ajuda da mão de obra italiana, começou naquela época a mostrar a sua potência para a produção do café, tornando-se, nos tempos de hoje, um dos maiores produtores do grão no mundo e um dos países que mais consome a bebida.

Mas é certo que os italianos não somente vieram com o conhecimento para o cultivo do café, em sua bagagem também estavam presentes as tradições em torno dessa bebida.

Se pensamos que já em 1720 em Venezia o Caffè Florian já estava aberto, podemos ter uma ideia de como os italianos já eram apreciadores da bebida muito antes de chegarem ao Brasil.

«vi siete mai chiesti cos’è il caffè? Il caffè è una scusa. Una scusa per dire a un amico che gli vuoi bene.» Luciano da Crescenzo.

Seja na Itália ou no Brasil, o café virou muito mais do que uma bebida, passou a ser uma desculpa para encontrar com seus amigos, um momento de encontros profissionais, sociais, ou simplesmente aquela pausa no meio da tarde para relaxar e recarregar as energias para continuar o dia.

Na Itália, depois da segunda grande guerra, nasceu em Napoli a tradição do Caffè Sospeso. Essa tradição, viva até hoje, é uma genuína demonstração de empatia: você paga dois cafés no bar, um você consome e deixa o outro em sospeso (em aberto), esse segundo café será oferecido pelo dono do bar a uma pessoa que não pode pagar por uma xícara de café.

Opa, beber café no bar? Isso mesmo, na Itália o caffè também é chamado de bar e é o lugar onde o italiano começa o seu dia: tomando café da manhã em um bar, de preferência no mesmo de sempre.

Assim como a cafeteria faz parte da rotina dos italianos, nós brasileiros também temos um apreço por esse lugar e o frequentamos seja para tomar um espresso, um pingado, um cappuccino, um café com leite, um macchiato…

São tantos os tipos de café que nem paramos mais para pensar qual a origem de cada um deles, afinal, isso parece não importar tanto, seja italiano ou brasileiro, o café também é um elo que une as duas culturas e temos um clássico exemplo disso: o famoso cappuccino brasileiro.

Dica de filme

Na Netflix: Caffè Sospeso. Documentário sobre a origem da tradição e como ela se difundiu também na Argentina e nos Estados Unidos.

Bônus: minha experiência com café na Itália

Quando penso na cidade onde morei, Perugia, a primeira coisa que me vem é o cheiro de café e cheiro do cornetto quente pela manhã que perfumavam os corredores da universidade.

O espresso italiano é um golinho, muito amargo e forte. Quando o bebi pela primeira vez achei o gosto horrível, parecia que o grão tinha uma torra muito escura, quase um gosto de queimado.

Mas com os vários cafés bebidos com os amigos da Università Per Stranieri di Perugia (onde me especializei), passei a adorar o café italiano… E bem… não sei até hoje se exatamente o sabor por si ficou melhor ou se a experiência social de beber um café em momentos tão agradáveis tornaram o clássico espresso um dos melhores cafés que já bebi na vida.

E a sua experiência com o caffè na Italia, como foi? Conte-me aqui nos comentários!

Leia Mais...