Aulas 100% on-line

Seg-Sex: 7h-21h    Sáb: 8h-13h

5 amenidades que fazem toda a diferença.

Ciao! Buongiorno! Buonasera! Come stai?

Aprender um idioma não é tarefa que acontece da noite para o dia, exige estudo, foco, paciência e muita força de vontade, mas disso todo mundo já sabe.

Tenho observado em alguns dos meus alunos que, a partir do nível B1 já adquiriram uma ótima capacidade de se comunicar em italiano, mas alguns ainda escorregam em alguns pequenos detalhes e, às vezes, sentem-se frustrados quando erram essas amenidades, porque sabem que se dedicaram com muito afinco para chegar até o nível intermediário do idioma.

Mas calma, gente! Para tudo tem remédio! Não quero entrar nas dificuldades de estruturas gramaticais e/ou tempos verbais mal aplicados, a ideia aqui é mostrar que alguns erros são mais fáceis de serem corrigidos do que imaginamos.

Então anote aí as 5 dicas a seguir, tenho certeza que muitos de vocês se identificarão com os seguintes detalhes:

1) Ancora, allora, adesso, anche, ma, mai…

Essas palavras tendem a ser uma pedra no sapato quando começamos a estudar o italiano, não é? São falsos cognatos tão presentes e frequentes no nosso falar que quando confundimos essas palavras, por vezes, sentimos um desânimo porque já conhecemos o significado de cada uma, mas a sonoridade com o português ou a semelhança entre elas nos faz errar.

A dica que dou para meus alunos é: anotem num papelzinho o significado de cada uma, façam uma colinha que fique bem ao alcance dos seus olhos e consulte sempre!

Apenas para recordar: ancora = ainda, allora = então, adesso = agora, anche = também, ma = mas, mai = nunca.

Quem sabe você não acrescenta à lista as palavras que você confunde? Ou, ainda, anote a diferença entre più e molto. Brinco com meus alunos que essa diferença tem que ser repetida como um mantra “più se usa para comparar”. Olha…até o momento a brincadeira tem feito efeito!

2) A data em italiano.

Parece besteira, mas a data em italiano é dita e escrita de forma diferente do português, as preposições não são usadas. Então dizemos: 7 settembre 2020.

É um detalhe tão pequeno, mas ele faz muita diferença e pode demonstrar que você tem um bom nível de conhecimento do idioma, sendo capaz de escrever de forma correta até mesmo os mínimos detalhes.

3) Mi piace x mi piacciono

Socorro! Esse verbo é de fazer arrepiar os cabelos! Primeiro de tudo: é um verbo que concorda com o objeto e não com o sujeito. Em seguida, é acompanhado de um pronome indireto.

Calma, respira, vamos traduzir tudo isso para uma linguagem mais fácil:

Se quero dizer, em italiano, que gosto de estudar, digo: Mi piace studiare. Se quero dizer que gosto de gelato: Mi piace il gelato.

Então a forma singular do verbo vem usada para: verbos no infinitivo e objetos no singular.

Agora, se digo que gosto das músicas italinas: Mi piaccino le canzoni italiana. Observe que o verbo mudou para o plural.

Já se eu quero dizer que a Maria também gosta de estudar, de sorvete e também gosta de músicas italianas: A Maria piace studiare;a Maria piace il gelato; a Maria picciono le canzoni italiane.

Observe que o verbo não mudou a sua forma de conjugar, manteve a mesma lógica: piace para singular e verbo no infinitivo e piacciono para o plural. É isso que significa que o verbo concorda com o objeto e não com o sujeito.

4) Verbos no imperfetto.

Quando aprendemos o passato imperfetto em italiano um dos erros mais comuns é conjugar o verbo na primeira pessoa terminando em -a. O que é perfeitamente normal para os falantes de português. Claro, nós dizemos: eu ia, eu fazia, eu comia…e assim por diante.

Mas em italiano a primeira pessoa nesse tempo verbal precisa terminar em -o: io andavo, io facevo, io mangiavo… Por que essa diferença é tão importante?

Observe a conjugação do verbo mangiare no imperfetto:

io mangiavo
tu mangiavi
lui/lei mangiava
noi mangiavamo
voi mangiavate
loro mangiavano

Captou a ideia? A vogal -a no final da conjugação do verbo indica a terceira pessoa singular, portanto, se quero falar de mim, preciso manter a coerência na hora de conjugar o verbo e usar a vogal final adequada para cada pessoa.

5) Esserci x avere

Quem nunca errou a aplicação desses dois verbos que atire a primeira pedra! Brincadeiras à parte é um erro muito comum entre alunos de todos os níveis. Mas podemos fazer algumas observações para que essa dificuldade seja sanada de uma vez por todas:

  1. O verbo esserci é a união do essere + ci = ou seja, aquela famosa particella CI que tem infinitos significados, mas neste caso é o clássico locativo. Ou seja, a existência de algo em algum lugar. Portanto: uso o esserci para indicar que algo existe em algum local. A Florianópolis ci sono 42 spiagge. Observe que o verbo esserci segue a mesma lógica do piacere, que vimos no ponto anterior, ele se conjuga apenas no singular e no plural. A Florianópolis c’è un albero antico. C’è para o singular e ci sono para o plural.
  2. Agora tente associar o verbo avere à ideia de posse e esse sim se conjuga em todas as 6 pessoas (io, tu, lui/lei, noi, voi e loro): Ho un libro preferito, Maria ha un cibo preferito, Noi abbiamo una canzone preferita….
  3. E se precisar de mais uma ajudinha: associe o verbo esserci ao verbo “existir” em português: Em Florianópolis existem 42 praias – A Florianópolis ci sono 42 spiagge. Em Florianópolis existe uma árvore antiga – A Florianópolis c’è un albero antico.

Atenção aos detalhes!

Se você ainda erra esses detalhes, relaxe, faça exemplos com eles, faça seus post-its e cole pela casa, não se preocupe! Não quero dizer que errar nesses pontos significa que você não fala bem o idioma, apenas quero atentar para que você não fossilize esses erros e não os carregue com você até seu nível C2 do idioma.

Busque ir afinando seu conhecimento de italiano e evolua ainda mais, melhore o que você já sabe e adquira, com o tempo, uma fluência ainda melhor.

Precisa de uma ajuda?

Entre em contato com a Italiano Descomplicado e venha conhecer nossas diversas modalidades de aulas, temos, inclusive, aulas de reforço para quem já estuda o idioma e precisa dar uma aprofundada em algum ponto, ou, ainda, aulas de conversação para quem já adquiriu uma certa fluência e quer praticar para não perder todo o conhecimento adquirido até o momento! Esperamos por você!

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Imprimir
Ana Luiza Leite Bado

Ana Luiza Leite Bado

Sou licenciada em letras-italiano pela Universidade Federal de Santa Catarina, tenho mestrado em literatura com foco na literatura italiana do Renascimento, pela mesma universidade, e nível C2 (fluente) em italiano pela Università per Stranieri di Perugia.

4 respostas

  1. Muito interessante e objetivo. Sempre tive e tenho dificuldade com conjugação dos verbos em Português, a lógica seria me aprofundar mais nas conjugações em Português para depois ir para o italiano ou não?

    1. Salve, Jorge! Obrigada pela leitura do post, espero poder ter contribuído para seus estudos!
      Certamente o português pode lhe auxiliar no uso dos tempos verbais em italiano, uma vez que a gramática das duas línguas é muito similar (atenção: há um tempo do passado a mais no italiano). Mas estudando bem os verbos em italiano e as suas conjugações é possível, sim, corrigir suas dificuldades. Embora uma atividade entediante para muitos, repetir as conjugações de um mesmo verbo em seus diferentes tempos é uma maneira muito útil de ir se adequando à forma de cada tempo verbal.
      Em caso de dúvidas, esclarecimentos, ideias é só entrar em contato! Buon lavoro! In bocca al lupo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia mais

Utilizamos cookies para melhorar sua experiência em nosso site. Veja nossa política de privacidade e termos de uso.