Sobre também ser aluna

Ciao amici!!

Ahh o que falar da semana que passou?! Foi a Settimana della Lingua italiana nel mondo e diversos foram os eventos que aconteceram. Em especial o VI Encontro Internacional de professores de italiano, no qual eu tive a imensa alegria de participar narrando a minha trajetória como professora particular.

E por que isso tudo foi tão importante assim?

Antes de mais nada quero ressaltar que ser professora é um eterno processo de aprendizagem, a gente nunca para de se deparar com coisas novas (e essa é a beleza da vida!) e ter sede de melhorar.

Então, como professora/aluna que sou, aproveitei o evento para absorver o que há de mais recente nos debates acerca da língua e cultura italiana.

Além disso, ser professora particular tende a ser um processo muito solitário e, muitas vezes, sinto falta de trocar experiências com outros professores, melhorar a forma como dou aula, aprender novas maneiras de explicar certos conteúdos, enfim, aprender e me enriquecer por meio da troca.

E essa semana me proporcionou tudo isso! De uma forma muito melhor do que a esperada! Com a maravilha do mundo digital o EIIPIB foi um sucesso e me conectei com professores de italiano de diversas partes do país (e do mundo!), vivenciei relatos de professores que atuam em realidades completamente diferentes da minha. Você sabia que na tríplice fronteira, em Tabatinga, há um professor ensinando italiano para povos de origem indígena? Você já pensou que na África, a Eritrea fala italiano?

Tantos debates, tantas histórias, tanta superação e todos unidos pelo amor pela língua e pela cultura italiana.

O mundo da italianística é assim, uma ida sem volta, o italiano é capaz de ultrapassar qualquer fronteira e unir pessoas apaixonadas pelo o que fazem, que superam qualquer dificuldade para portare avanti essa paixão, às vezes, meio sem explicação.

E o que o meu aluno ganha com isso?

Muito, muito mais do que aquilo que pode ficar evidente no momento da aula.

Depois dessa semana me sinto revigorada, com novas ideias, novos conhecimentos para transmitir e com vontade de crescer.

As novas ideias serão colocadas em prática de forma paulatina, pois quero desenvolvê-las o melhor possível, mas aos meus alunos e aos novos que virão deixo um recado: aguardem, coisas maravilhosas acontecerão!!

O poder de um evento na vida de um professor é imenso, então, pensem e estimulem os professores de vocês a estarem nesse meio, saibam que tem tanto trabalho por trás dessa experiência que, estar ali pode ser tudo, menos uma semana de férias.

Por último, deixo aqui um recado: valorizem professores que estudam, que estão constantemente querendo se aperfeiçoar e que não levam o trabalho como um “bico” ou um “extra”. Dar aula é um trabalho que vai muito além da aula em si.

Leia Mais...

Dia nacional dos professores!

Auguri a tutti gli insegnanti! Se no dia 5 de outubro comemora-se o dia internacional dos professores, pela UNESCO, no Brasil, a data é 15 de outubro.

O meu percurso para virar professora de italiano

Comecei a estudar italiano em 2008, num curso de língua e cultura italiana que existia aqui em Florianópolis. Por sorte, desde o início do curso sempre tive ótimas professoras e professores e a minha paixão pelo idioma foi crescendo.

Chegando na graduação, novamente, tive ótimos professores e cada um deles me inspirava a também poder transmitir o conhecimento de alguma forma.

No quarto semestre de curso optei pela licenciatura e passei a ver cada vez mais de perto o que é ser professora, como é enriquecedora essa profissão e a ideia de compartilhar o conhecimento com outras pessoas foi crescendo constantemente.

Até que me inscrevi para dar aula como professora voluntária no PET Letras e ali tive a minha primeira turma. Cada dia uma alegria, uma surpresa, um aprendizado. Lembro-me de pedir conselhos, ajuda para colegas e professores, mas nunca desisti perante uma dificuldade, pelo contrário, sempre busquei uma forma de entender a dúvida do meu aluno e saná-la da melhor forma possível.

Fui adquirindo experiência, durante a graduação e o mestrado comecei a dar aulas particulares e aulas para grupos como professora voluntária ou professora do Extra (curso de idiomas para a comunidade oferecido pela Universidade Federal de Santa Catarina).

Após a conclusão do meu mestrado fui para a Itália e estudei na Università per Stranieri di Perugia e, novamente, tive somente professores incríveis, competentes e apaixonados pela profissão, professores que manejavam uma turma repleta de estrangeiros e conseguiam ser claros e acessíveis para todos.

Voltei da Itália mais certa ainda: quero ser professora de italiano!!

Comecei dando aulas presenciais aqui em Floripa, até que um dia uma aluna minha, professora de inglês on-line, perguntou-me: Ana, por que você não dá aula on-line?

Lembro de ter pensando na hora: mas é claro! Se meu desejo é compartilhar essa paixão pela Itália com outras pessoas, on-line não terei limitações!

Dito e feito, no mesmo dia comecei a divulgar minhas aulas on-line e agora estou aqui, 100% digital e cada vez mais apaixonada pelo meu trabalho.

Ser professora na era on-line

Graças à internet meu desejo se concretizou. Trabalhar com o idioma italiano é construir uma enorme família, pois a cultura italiana é assim, sem barreiras, sem limites, um enorme abraço que acolhe e encanta.

Durante meu percurso como professora 100% digital tive o prazer de continuar dando aulas para alunos que foram para a Itália em busca do sonho da dupla cidadania (e conseguiram com sucesso, sozinhos, sem assessoria!), já tive aluna no Qatar e nos encontros de conversação que promovo, felizmente pude conhecer pessoas de outros países do mundo. Todos juntos pela mesma paixão.

Ser professora (on-line), para mim, é isso: um constante entrelaçar de culturas e ser uma ponte para que cada aluno realize seu sonho.

Nos tempos da pandemia…

Hoje, mais do que nunca, meu papel como professora vem ganhando diversos significados. Neste período de isolamento, muitas vezes me vi como o único contato, além do trabalho, que meu aluno teve durante toda a semana, concretizando aquela máxima: “todo professor, no fundo, tem um pouco de psicólogo.”

Claro que não me acho capacitada e não pretendo ser nem muito menos substituir o papel de um psicólogo ou de um psicanalista, mas o que entendo com essa situação e com essa máxima é que ser professora, atualmente, é ir muito além do que aquele que transmite alguma forma de conhecimento, é ser um profissional pronto para lidar com o que há de mais humano em cada um de nós, é saber lidar com o outro, talvez melhor mesmo do que o outro lida com si, é estar aberta às surpresas e ter jogo de cintura para lidar com o inesperado.

Enfim, ser professora é estar em constante evolução. Quantos professores não tiveram que se desdobrar para dar o melhor da educação no meio desta crise inesperada?

Vi ringrazio di cuore!

Agradeço, de coração, a todos os meus professores, inspiradores! Graças a eles hoje sinto realização no que faço.

Ser professora particular não é um bico, muito menos uma falta de opção, é uma escolha muito bem pensada que exige constante evolução, estudo e dedicação de corpo e alma.

Tudo isso só é possível, também, graças aos nossos alunos e eles o meu MUITÍSSIMO OBRIGADA! Nada disso seria tão maravilhoso sem a incrível paixão de cada um de vocês

Quer fazer parte da família Italiano Descomplicado? Entre em contato! Ainda há vagas! [email protected]

Leia Mais...